sexta-feira, 23 de abril de 2010

TuDo Se ImiTa! MaS nAda Se CopiA!


O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.


E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.
Fernando Pessoa...

O poeta é um sonho
Que vive em um comboio
Que de tanto alimentar
Aspira o que recitar.

De dentro de um recinto
Ainda sobrecarregas
O que de lá escreves
Sem medo do luar.

Se assim vive a brindar
Sejas com o caminhar
Dividindo o anseio como um patamar
Ainda vós o vejo a me decifrar.
Woody Hansen...


Um comentário:

Mayara Árvore de Azeitona disse...

O ATOR é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

O ATOR é um sonho...

lindo caio, lindo
maldito que me deixa sem tudo isso :@